quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Vida e obra de Michelangelo

Michelangelo foi um artista que criou obras de arte de beleza única. Suas obras são tão importantes e apreciado que os consideramos como inatingível pelo engenho humano.

Michelangelo era um artista que foi reconhecido como um gênio em seu próprio tempo. Várias pessoas poderosas da época ordenou este grande artista para realizar trabalhos em lugares importantes, tais como, a cúpula de São Pedro ea Capela Sistina. Entre suas obras mais significativas são a Pietà e Davi, que é um dos símbolos mais importantes do Renascimento.

Michelangelo preferido a escultura para as outras artes, talvez porque ele cresceu em Settignano. Existem pessoas extraído pedra para a realização das casas mais prestigiadas de Florença.

formação artística de Michelangelo começou na oficina de Ghirlandaio, que consideramos um dos mais famosos artistas de Florença. O pai de Michelangelo o enviou à oficina de Ghirlandaio de modo a contribuir para as despesas da família.


Parece que a família Buonarroti estava passando por um período de grandes dificuldades económicas, embora ele deriva de uma classe social de importância. A decisão do Pai para enviar Michelangelo a uma oficina prova que o jovem Michelangelo já havia manifestado uma forte inclinação artística.

Embora naquela época membros de famílias proeminentes não foram encorajados a ser artistas, como a obra foi considerada um trabalho manual e menos nobre em comparação com outro tipo de postos de trabalho. Apesar deste difícil momento econômico da família Michelangelo Buonarroti, o jovem se dedicou totalmente corpo e alma neste tipo de trabalho.

Na oficina de Ghirlandaio, Michelangelo aprendeu técnicas de pintura e mostrou logo os seus magníficos habilidades, ele foi um dos melhores artistas do workshop, apesar da sua tenra idade.

Depois de alguns anos, Michelangelo começou a frequentar o Jardim do San Marco, que era então uma espécie de academia de arte apoiado e financiado pela Lorenzo de Medici. Portanto, no Jardim do San Marco Michelangelo rapidamente destacou seu talento artístico. Seu sucesso foi tal, que Lorenzo de Medici convidou o jovem artista para ser um convidado em um dos palácios Médici.

Logo Michelangelo era considerado como um membro da família Medici importante, o grande artista tem que saber toda a dinastia dos Médici. Em curto espaço de tempo, muitos membros da família Medici ocupou cargos importantes na política e na igreja, e estavam entre os maiores compradores de obras extraordinárias por Michelangelo Buonarroti.

As vicissitudes políticas e sociais que tiveram lugar em Florença, com a chegada de Savonarola levou Michelangelo para se afastar de Florença após a expulsão dos Médici. Neste período, o grande artista, trabalhou em outras cidades como Bolonha, Roma e Siena.

Com o retorno ao poder da família de Medici, Michelangelo também voltou a Florença. Em seguida, ele começou a perceber as grandes obras que teriam feito dele e Florence famoso em todo o mundo, isto é, quando o grande artista criou a gigantesca estátua de Davi.

Michelangelo criou obras únicas e irrepetíveis, muitas dessas obras estão em Florença, e estão entre as atracções artísticas mais importantes dos muitos passeios que são organizados em Florença.
http://statusparawhatsappamor.com/status-de-musica-de-funk/




http://ezinearticles.com/expert/Susanna_Mantovani/1912298

sábado, 23 de julho de 2016

Hipnose e assombrados Atrações

A maioria das pessoas gastam uma quantidade justa de suas vidas em um estado de transe, sem nunca perceber. O estado hipnótico é uma experiência comum e, na verdade, uma agradável para a maioria das pessoas. É um estado de consciência em que o cérebro está oscilando entre 7-10 Hertz. proprietários Assombração pode criar experiências mais intensas, reconhecendo o fato de que seus clientes podem ser um pouco sugestionáveis ​​dentro de sua atração assombrada. Muitos fregueses, naturalmente, entrar em uma primeira coisa trance como eles entram o refúgio sem nunca perceber. Frases de rap para fotos

Há maneiras de encorajar as pessoas a entrar em transe, sem ter que hipnotizar-los activamente. Para os proprietários de atração assombradas, incentivando trance pode ser tão simples como sobrecarregar os clientes com uma grande quantidade de estímulos sensoriais. Patronos devem ver, ouvir, cheirar e tocar em coisas que não são familiares a todos eles ao mesmo tempo. Esta é uma experiência que é fácil criar em uma atração assombrada, razão pela qual a maioria dos proprietários Assombração pode supor que um alto percentual de seus patronos a pé através de suas assombrações em estado de transe.

Assim, como proprietário de um refúgio, como você pode usar o estado sugestionável do seu patrono da mente para a sua vantagem para criar uma experiência mais imersiva? Os efeitos sonoros são um bom começo. Os efeitos sonoros são, por si só, sugestões. Patronos ouvir um uivo de lobo e eles automaticamente imaginar um lobo, mesmo que não haja nenhum lobo lá. Os efeitos sonoros são, portanto, uma "sugestão" do que você quer os clientes a acreditar está lá. Muitos proprietários Assombração não conseguem perceber o poder do som, especialmente em ambientes com pouca luz. Com som, dono de um refúgio pode alterar e melhorar a forma como os clientes experimentam sua casa assombrada.

Um patrono que está em um transe vai acreditar em certas experiências que são apenas "sugeriu" mais de um patrono que não está em transe. Por exemplo, se você criar uma seção de seu refúgio no qual os clientes mover para a esquerda por um corredor, depois à direita por um corredor, à esquerda, depois à direita, à esquerda e depois ... o que vai patronos fazer? Em seu estado sugestionável, eles vão naturalmente vire à direita depois de ter arrastado-los sobre esse padrão. Parabéns por fazer seus clientes se sentir desorientado! Desorientação é uma casa grande emoção assombrada. Uma vez que está desorientado, você terá um tempo muito mais fácil assustá-los.

Embora você provavelmente desfrutar de construção de conjuntos para a sua atração assombrada, é importante para os proprietários de Assombração tomar psicológico make-up de seu patrono em consideração como eles projetam seu refúgio. A maioria dos clientes de casas assombradas estão em um transe e este é um estado de espírito que pode trabalhar para melhorar a experiência do medo e diversão se usado corretamente.

Jennifer Shipp tem vindo a construir e projetar atrações assombradas desde 2004. Ela tem um mestrado em psicologia e ela passou anos estudando hipnose e estados alterados em mais de 30 países em todo o mundo. Atualmente, ela supervisiona um ambiente assombrado imersiva na pequena cidade de Brule em Nebraska ocidental, onde toda a aldeia é assombrado. A atração, conhecido como Distrito Escolar 13 assombrada atração (http://SchoolDistrict13.com), apresenta quatro atrações assombradas, um ônibus assombrada, e ruas assombradas que atraem milhares de clientes anualmente. Ela e seu marido John utilizar conjuntos, design de som e efeitos especiais para untether patronos de sua realidade diária normal cada outubro.


http://ezinearticles.com/expert/Jennifer_Shipp/1569443

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Intensidade da emoção na arte

A intensidade da emoção é melhor expressa usando os métodos dinâmicos de uma forma de arte. Cada sujeito criativo tem suas próprias abordagens formalizadas para o uso dinâmico, mas na dinâmica geral são ferramentas que podemos usar como opções para aumentar ou diminuir a quantidade de emoção que flui entre o artista eo público.

O fluxo de emoções através da arte é um fluxo bidirecional que ocorre entre dois terminais - mente do artista e na mente do público. O fluxo é suave quando o impacto emocional envia um sinal de feedback que é regular e consistente, mas áspera e irregular quando inconsistências causar perturbações no equilíbrio da suavidade. Ambos os efeitos mudar manipulando os tipos de emoções em questão com os seus equivalentes dinâmicas artísticas. http://statusparawhatsappamor.com



O impacto emocional de um componente dinâmica pode ser alterada numa de duas categorias básicas: repente e gradualmente.

Um impacto súbito se manifestará como um soco ou influência direta sem sutileza sobre isso, mas às vezes ele vai ocorrer como surgimento harmoniosa e perfeita dentro de uma obra de arte. Em contraste, um impacto emocional gradual geralmente parecem vir de uma distância longa ou um ângulo inesperado desenhando lentamente uma quantidade crescente de atenção do público a ele para uma surpresa agradável.

Usando dinâmica como ferramenta de diagnóstico é uma forma de testar, medir e ajustar a intensidade da emoção em uma forma de arte.

mudança gradual ou um impacto súbito compreendem basicamente todos os tipos de categorias dinâmicas, mas é a combinação, estrutura e tempo de cada um desses elementos que alteram a distribuição de intensidade emocional no trabalho criativo.

Ao empurrar alguns factores dinâmicos a extremos e reduzir os outros a níveis onde você dificilmente notará a sua presença, você começa a ter uma idéia de como cada fator irá interagir com todos os outros fatores que você está usando.

Aqui estão alguns componentes dinâmicos que um artista deve controlar em qualquer das suas obras criativas que lhes dão o poder de alterar a intensidade de emoção, bem como o impacto emocional que está em seu produto.

Cor

Textura

Volume

Profundidade

Equilibrar

Cronometragem

Tom

Gramática

Velocidade

Estilo

Sabor

Harmonia

Forma

Tamanho

Altura

Melodia

Linha

De qualquer maneira que um artista utiliza componentes dinâmicos para gerar novas e únicas experiências artísticas, é muito importante que o trabalho expressa uma declaração clara e definitiva ideia que é verdadeiramente a visão criativa do artista. Um conceito simples, frase curta, lista de ingredientes, esquema de cores ou tema dramático são todos ótimos lugares para começar.

Uma vez que você tem uma base ou fundação de que para crescer e construir uma composição, é fácil começar a testar diferentes componentes dinâmicos para determinar os resultados de cada experimento. Anotações podem ser extremamente úteis e de valor inestimável durante esta parte do processo, de modo a traçar sua linha de progresso.

O processo em breve acelerar e trazer-lhe ainda mais perto do produto final. Cada linha do progresso irá revelar algum elemento novo, uma interessante combinação de fatores, ou um resultado incomum que pode ser re-criado e explorado em um momento posterior.

Uma das chaves mais importantes para formar peças de sucesso de arte é, ilustrando em sua estrutura como o resultado desenvolvidos ou cresceu. A combinação de elementos devem formar uma harmonia ou equilíbrio de fatores que parece que eles não poderia ter existido afastados uns dos outros ou que de alguma forma sempre pertenceu juntos.

Finalmente, o objetivo de experimentar com vários elementos dinâmicos é fazer descobertas através de surpresas inesperadas, acidentes maravilhosos, ou façanhas inteligentes de chance de que não poderia ter sido planejado com antecedência. Este é o reino de produtos artísticos para mudar o jogo, que são verdadeiramente inovador, e que inaugurar "o novo" e definir tendências.

Cada idéia artística possui um pequeno pedaço do próprio artista e torna-se imbuído de parte de sua energia vital. Esta é parte da alquimia do trabalho criativo, onde o artista estende-se na obra de arte e a peça começa a assumir uma vida própria.

Marc Avante é um músico, designer de som, e blogueiro. Ele também é o fundador do projeto musical chamado Tese Stereo. Tese Stereo é um design e música estúdio de som protótipo.

Para obter informações adicionais artista, artigos interessantes, notícias e brindes visitar a Tese Stereo blog em: http://stereothesis.blogspot.com/

Ou para obter acesso exclusivo à livre downloads de música instantâneas pela Tese Stereo, acesse: http://stereothesis.bandcamp.com/


http://ezinearticles.com/expert/Marc_Avante/343175

Fonte do artigo: http://EzineArticles.com/9427153

As decisões artísticas e o fluxo de energia

Indecisão

Indecisão interrompe o fluxo de energia criativa e impede a visão de um artista de tomar forma. Ele nos enche de ideias de ordem baixa e aponta-nos em numerosas direções improdutivas.

O medo faz com que a indecisão e nos paralisa de avançar. Ela nos impede de se comprometer com ideias específicas e fazendo esforços em certas direções. O medo leva à segunda-adivinhar, as dúvidas sobre as nossas capacidades, enfraquece o nosso desejo de expressão criativa. Melhor Textos namorado tumblr

A obstrução criativo em nossas mentes causado pela indecisão e medo, eventualmente transborda e se torna uma dispersão de pensamento criativo que desperdiça boas ideias e motivações em direções artísticas sólidas.

criações artísticas desafiadoras que têm uma borda ousada para eles às vezes pode chocar-nos e fazer-nos hesitar de trazê-los até a conclusão. O medo de transmitir este efeito chocante para os outros e a nossa forma de imaginar as suas opiniões resultantes de nossas novas idéias, o que poderia ser o nosso melhor trabalho é uma outra forma de indecisão artística, que decorre do medo de magoar ou ofender os outros com idéias, maneiras, ou através da violação de uma norma social.

Decisão

Decisão abre nossas válvulas mentais para permitir o fluxo de criatividade para preencher nossas obras de arte. Para manter um fluxo constante de energia criativa que você tem que estar constantemente tomando decisões que o ajudarão a progredir através de cada projeto.

decisões pouco pode ser feito quase instantaneamente, enquanto grandes decisões terão de ser cuidadosamente formadas ao longo de um período de tempo. Por uma questão de realmente alcançar a sua visão artística, adiando o projeto pode ser uma opção válida para evitar uma grande decisão de ser feito às pressas, pois isso pode trazer tudo que temos trabalhado na ruína.

Na música, devem ser tomadas decisões relativamente à forma de uma linha de melodia, o número de meios que podem ser usados, e o arranjo das partes. Na culinária, as decisões incidirá sobre o tipo de ingredientes, suas proporções, ea apresentação visual. Na ilustração, as cores, o tipo de papel, e sujeito terá que ser decidida antes e durante todo o processo até a conclusão do projeto. Em cada campo criativo, o artista ou designer deve ser capaz de operar, fazendo um fluxo consistente de decisões sem fim ou hesitação.

A abertura da Mente

A nuvem do desconhecido pode ser preenchido com inúmeros fatores relacionados com a realização de nossa visão artística, tais como dúvida e medo, que podem impedir uma decisão de ficar feito. É por isso que uma atitude Zen sobre o trabalho criativo deve ser cultivada em cada um de nós, de modo a manter a nossa energia artística em um constante estado de fluxo.

a própria vida pode ter uma qualidade artística a ele se a pessoa fazendo isso aborda a vida com uma assinatura, estilo personalizado.
Com uma abertura de espírito que não tenta regular o fluxo de energia artística, torna-se mais fácil avaliar todos os fatores que devem ser considerados para inclusão ou remoção de qualquer um dos nossos trabalhos.

A mentalidade que não leva em conta as opiniões críticas de outros acha que é muito mais suave para peneirar os elementos de uma peça para que eles se fundem naturalmente na estrutura artística estávamos procurando ou não buscando, mas surpreendeu-nos pela evolução fora do processo.

Quanto mais o processo de tomada de decisões assume a característica de uma corrente que flui suave de expressão artística regulamentada por convenções sociais, a dúvida eo medo irá se dissipar e o poder de escolha funcionará naturalmente e com facilidade.

Quando o artista é capaz de assumir uma abertura de espírito a velocidade da criação artística vai acelerar e trazê-los rapidamente para a conclusão de cada projeto. O cumprimento de sua visão criativa simplesmente fluem e sempre estar prontamente disponíveis.

Então, quando as últimas peças de um quebra-cabeça criativa cair no lugar, e que já foi uma nuvem de incerteza que rodeia você, se dissipa, e se solidifica em um produto tangível, o fluxo de energia viva de que você vai abrandar e mais uma vez retornar a um estado de descanso . Deste ponto de resto você estará livre para se refrescar em outras atividades ou começam novamente para seguir o curso da nova obra de arte.

Marc Avante é um músico, designer de som, e blogueiro. Ele também é o fundador do projeto musical chamado Tese Stereo. Tese Stereo é um design e música estúdio de som protótipo.

Para obter informações adicionais artista, artigos interessantes, notícias e brindes visitar a Tese Stereo blog em: http://stereothesis.blogspot.com/

Ou para obter acesso exclusivo à livre downloads de música instantâneas pela Tese Stereo, acesse: http://stereothesis.bandcamp.com/



http://ezinearticles.com/expert/Marc_Avante/343175
Fonte do artigo: http://EzineArticles.com/9427147

Antes Light (Ou: 'Darkness Terrestrial')

Nocturnal Age da Terra

No tempo de escuridão torrencial, quando a noite era mais velho do que o sol, ou para que ele deu a impressão, por eras, dentro do sistema solar da Terra, um período entre espaço e tempo, que não pode ser contabilizada mas era, quando o terra pairava para o sol, ea lua teve uma influência nociva miasma, uma luz noite anômala rastejando através da nuvem atmosférica profunda da terra, tentando penetrar sua escuridão Eldritch, bocejando para lançar um toque de luz graciosa sobre a terra, sendo apenas alguns raios no seu momento mais brilhante e partilha, mas um décimo do que, à meia-noite era a idade noturna da terra.

Durante o encerramento desse período, earth`s raça demoníaca estava aguardando sua única régua de tempo, Lúcifer; mas a batalha celeste era tão dura que interromperam todo o sistema solar; Assim, vieram as idades noturnos, uma passagem para outra. E, portanto, pouco a zero, a vida em todas as formas tiveram que sobrevivem a longa noite, que vai para a folhagem da Terra e da vida marinha, que incluem, entre a esquerda sobre partes legítimas da humanidade ou a humanidade subumano, a vida que tinham sobrevivido na ligas de escuridão, eles sobreviveram no fundo das cavidades de ébano profundas de grutas e cavernas subterrâneas; era um oceano subterrâneo per se.

Quanto aos gostos de três dirigentes demônio do tempo: Arco diabo Belphegor (King e régua de cinco legiões), Agaliarept, para ser no tempo, capanga de Lúcifer, e governador de três legiões, e Amsodeus, mais assistente do diabo parece , desde as artes negras. Todos sabiam da grande batalha no céu, seguiu os passos de notícias a passo como ele afundou, e derivou aparentemente das estrelas até eles, e aqueles demônio sentir Deus humilhado Lucifer uma vez que seu comandante e chefe, e, portanto, estavam aguardando para seguir Lucifer sob seu comando todos, assim como dois terços dos renegados angelicais de Deus, que agora estavam exilados na lua, por traição. Belphegor e sua horda eram uma multidão inquieta, mas ao mesmo tempo fiel a Lúcifer.

Onde Lúcifer era, ninguém sabia, mas todo mundo sabia que no dia da luz, ele iria aparecer, com suas forças angelicais, e para atender suas forças demoníacas.

Alguns dos habitantes que viviam no mundo subterrâneo, neste período, alienígena, ou o que quer, tinham cérebros mais robótico do que os normais, em que duas células dentro de seus cérebros com dois neurônios, tomaram decisões para eles, como um para a fome e um para alimentos. Eles foram chamados pelo demônio ", os ocupantes 'eles pensaram muito parecido com o caracol.

O outro ramo da humanidade, eram seres nus, sem nome, com longas barbas, cabelo emaranhado de lodo, alguns altos, os idosos com costas curvadas, idiota na aparência, eles falaram em grunhidos e gibbered pausas ininteligíveis, mais de elite, com monossílabos . Isso era o que restava do remanescente degenerada da humanidade do passado 'terras e presente; ambos foram extintas.

Durante este período de desidratação da Terra, esses clãs conduíte nômade, diminuiu em profundidade as raízes de fundo da crosta terrestre, procurou lagos subterrâneos, peixes, carnes de répteis, vermes, aranhas, toda forma de inseto, uma repulsa pesadelo para a humanidade e Demon iguais, e para os renegados angelicais deixados na Lua da Terra, um pesadelo atormentado.

Entre os governantes na lua, foram Azaz'el, que, com o tempo, ensinar e lhe ensinou durante esta idade escura, injustiças, e não havia Semyaza, que, com o tempo ser o grande fornicador e Asder'el, que ensinou de os planetas, e estava fazendo exatamente isso na lua: ensinando como o universo estava se expandindo à medida que novos corpos e explosões atuais ocorreu, empurrou o universo exterior, como um homem gordo pode comer até que ele está inchado. E ele ensinou sobre grandes tempestades nuvem de Júpiter, suas nuvens de amônia gelo. Fora isso, eles estavam todos esperando na lua, para concluir sua primeira ordem de penitência?

Os Lunar Idade Nocturnal

Filho de Deus, agora comandante e chefe, tinha lutado com Lúcifer, e Lúcifer foi lançado fora céus falésias, paradeiro na terra, ele conseguiu, quem pode dizer? E seus seguidores, renegados angelicais foram despejados na lua de terra que foi derretida quente, no momento.

Foi um momento em que a lua adquiriu bombardeamentos maciços, numa altura em que os asteróides e cometas trouxeram pedaços de suas substâncias, detritos, a superfície da lua, quando meteoritos, ocasionalmente, chegou à Lua fazer o seu caminho através do cinturão de asteróides; dentro destas rochas e pedras eram depósitos de água, com condrito carbonáceo, Lua-água, que chiou e trouxe poeira ferruginoso, aos altos renegados do ranking aguardam rico em água. Estes asteróides primitivos, criado erupções vulcânicas que causou rochas vulcânicas para absorver a água, - no prazo de rocha derretida pommelled da lua. Dentro dessas rochas eram moléculas orgânicas. Em essência, um pode ser capaz de sugar a água para fora da rocha, e talvez muitos o fizeram por falta de sede. Mas para a maior parte destes punhado de águas foram enterrados no fundo da lua, como o tempo passou, durante esta idade noturna lunar escuro, a lua tornou-se um habitat mais razoável para a corrida angélico, que não precisam de oxigênio.

Este foi um tempo em que Deus estava se movendo Júpiter e outros planetas exteriores no lugar (depois da grande perturbação no céu), redefinindo suas órbitas, criando nosso Sistema Solar de novo, de forma a não impactar o planeta Terra.
Em qualquer caso, deixe-me ir para a premissa deste Vignette.

A geoquímico poder e pode não concordar com isso, mas eles devem desfazer a água até fortemente ligada em rochas lunares, um traço de água vai emergir (magmático - água). E assim a Lua era um lugar habitual para um momento no tempo e um lugar horrível para ser enviado para a prisão por traição, que é o caso em apreço por estes anjos renegados, juntamente com uma prisão cósmica de alguma nebulosa distante. Mas logo que este era de escuridão estava para vir até o seu fim, Lúcifer iria aparecer mais uma vez, como seria o penitência para os renegados reduzidas a terra.

E assim Lucifer inchado pelo sopro de seus seguidores, aguardava seu estrelato de comparecer pessoalmente, como seus três Renegades Angélicas penteado natureza selvagem de Lúcifer em seus 200 milhões de seguidores, com os segredos do céu, só para transformá-los em segredos necromânticos escuros. E assim uns aos outros ensinado os ofícios de todos os segredos conhecidos do céu para seus seguidores, e todos eles adquiriu muito conhecimento duvidoso, do proibido, como Anon que iria ensinar à humanidade e os demônios que aguardam a sua chegada.

Com o tempo a ser, -tanto demônio e renegado angélico, e aqueles entre a herança de Adão que se seguiu este ofício, eles seriam chamados assistentes, entre outras coisas, por isso foi um trampolim para o sobrenatural, mesmo entre os demônios que não conseguia segurar o poder sobrenatural dos Renegades Angélicas sem as suas consagrações: todos esses ensinamentos devem ser mantidos em custódia, em alguma forma de edições erudição, comparada a livros pretos da magia, que eram de seguir em tempos ainda a ser: para ser enterrado por eras, nas mentes dos seguidores de Lúcifer, e depois refez, e depois trazido à luz quando a luz reapareceu na terra ea terra assumiu um ambiente mais estável; isto é, quando Deus trouxe a luz de volta para a terra cheia, e permitiu-lhes a entrada.

Escrito: 6-2 & 3-2016 (# 5256)


http://ezinearticles.com/expert/Dennis_Siluk_Dr.h.c./5005

Fonte do artigo: http://EzineArticles.com/9437941

Mundos além Lair of the Worm venusiana (em três partes)

Timeline for Mars

((Mars to Venus) (Part I of III))

It was well known Dr. Marge Johnson of the Louisiana Space Station, one of the leading and foremost and youthful scientists, possessed amid her far-stretching theories of Mars, and life on Venus (and perhaps both places being resting charnel, a place of once great sufferings, and now a lone graveyard of bones, in essence, two world sarcophaguses). For Ms. Johnson, a much kept secret from all her men and women envious scientists; for her more than theories, part from being a magician she could-so she felt- prove, her hypotheses.

It was plain in 2034 A.D., she would be the first woman on Mars, and thereafter Venus, if the edifice went according to plan. She had ascertained regarding Mars' interior, things as it required ((Quantum Elucidations) (brainstorming in essence)) given only by wizards of long ago legends, who spoke in riddles and rhyme, that none at the Space Station could interpret, or if they could, were too farfetched to ponder on. But her ardor for the unknown and owlish irony of it, superseded all their mown.

Her last lecture was now being addressed at the nearby university where she would thereafter part on her first trip to Mars, and follow up with Venus.

"Mars," she started out plainly, "the red planet is the second and smallest in our solar system, forth from the sun. Red because of its iron oxide. It has a thin atmosphere, with a tinge of oxygen, just enough for lichens ((small papules) (or fungus)), we know they only need a dribble.

"Mars has two moons that look more like asteroids, one being nearly eight miles wide the other per near fifteen. The soil on Mars has habitability I believe, as Mars itself, contains 3% water. And I also have faith in at this very moment it can and does sustain life.

"It will be considered an astrobiology mission for the most part, to Mars, as I am planned to leave within the next few days.

"Mars' diameter is half the size of earth, and it has minerals, water, oxygen, metals. It has no global electromagnetic field per se. And it is 4.5 billion years old, thereabouts. On Mars, water and lava still flow, so it is not a dead planet, like our moon. We astronauts expect to land near Olympus Mons, which is 340-miles across, an old, very old volcano. It has two polar ice caps, if they melt, it would flood Mars, deep into thirty-six feet of water, -global. And as anyone can all see from NASA's photo shelf, it has much erosion, and its grand canyon 'Ma'adim Valdisis' is 430-miles long, its width 12-miles, and its depth is 1.2 miles. Perhaps the second largest canyon in the solar system.

"Furthermore, Mars has 96% carbon dioxide in its atmosphere, as mentioned before, small traces of oxygen, a dusty atmosphere for the most part, an odious sky to say the least for human habitation. But we know how to build cupolas like structures, so we'd not be living in a sarcophagus.

"The Martian year is 687 days orbit around the sun, with temperatures between minus -225 F, and its high 95 0F (above) its orbit is like Earth's, counterclockwise, Venus' is the only one opposite.
"As I've indicated before, we have a form of life that can survive within Mars' atmosphere, Lichens, but I do believe there is more than that life form on Mars. I believe there are true spiders, when I say true, I mean 305-million old spiders that have survived the ages and times; I believe I have seen their corpses encased in rock, the name has been christened Idmonarachne brasieri, found here on earth, perhaps gathered from wind to our atmosphere, and taken by way of asteroids that have crashed on Mars, having eight spidery limbs, and an imposing jaw. Do they survive today, I believe so. I believe for the most part they live underground.

"Earth to Mars is between 93 to 76 million km, depending. I know you all are looking suspicious at me, my youth I suppose, I'm only twenty-four years old, but I will let you in on a little secret I've not told even my fellow comrades, who consider me a genus in this field, in the year 2073 A. D., I predict from my observations, empirical data, calculations Mars' moon Phobos will shift and move in closer to Mars' surface, it is close already, but it will get so close it will tear parts of Mars' surface by tidal stresses, its debris will produce a dusty ring around the planet; also, the sun's increasing luminosity will cause parts of the planet to move outwards, Mars then will become tidally locked with earth, and its expanding sun. In the process, Mercury, Venus and Mars along with Earth will be destroyed, unless there is a miracle, for Mars will be like an approaching baleful barbican, likened to Babel.

"And for those non-believers of my spider story, I have already traced its cell history from Earth to Mars by what now we have is a tape-recorded DNA tracer, it can trace the family history of every cell in any organism, and from rocks I've gathered from Mars from previous Mars data, and the fossils here on earth, the spider ascended from a single egg from Earth to Mars, and thus came the trillion complex cells of its body."

Then suddenly someone called her "Asmodeus," the old legendary demon of the Old Testament book, who killed seven of Sarah's husbands. A troublemaker, by and large, for the nuclear family structure, who to this day haunts the world and humanity's household; a specialist in family disorders, and is often exorcised and purged from individuals by trained priests in exorcisms.

(She was simply creating nonsense out of her head thought many of the listeners- chrysalides like... )

And so, her lecture was quite grim to her listeners, with a mysterious salient ending, and the students could hardly fail to provoke curiosity and sundry differences; arousing so much concern her colleges had to pull her off stage, some feeling she was filled with evil and malignant substance. Some of her listeners even accused her of being a warlock. The crowd was inimical seethed.

Throughout the day, and the following day, extravagant whisperings took place at the Louisiana Space Station, Dr. McGee examined her thesis, seeing Mars' larger moon, Phobos (Greek name, meaning Fear) and Deimos the second moon (Greek name, meaning: dread) were in fact more of an asteroid shape, something he never took into consideration, and he noticed both were lowering their orbits more quickly than the naked eye had noticed, or for that matter, telescopes had documented. And yes, it could-either one or both moons-possible crash into Mars' surface should they continue-as they were-to drift their orbit at their present speed closer to the mother planet, and thus, like a falling gargoyle from a cathedral, bombard or fragment upon the crashing into Mars, so Dr. McGee pondered, and concluded.

Lair of the Venusian Worm

((Mars to Venus) (Part II of III))

Astronauts Captain Greg Younger forty, commander of the spaceship Yig, Billy Colman thirty-eight chemical engineer, and Evolutionary Engineer, Professor Marge Johnson, PhD., age twenty-eight (with a background in protein and molecular biology working on an algorithm system for interstellar life, on uninhabitable planets), all three, astronauts on a five-year program, had readied themselves for humankind's first trip to the second planet from the Sun, Venus, it was set for the summer of, 2040 A.D. They were all well aware Venus was the hottest of any planet-its surface-in the Solar System, at 896 F., hot enough to melt lead or zinc. They also knew of its heavy and dense atmosphere which entailed thick carbon dioxide and nitrogen gases along with sulphuric acid which is very toxic for humans. To include the pressure of the planet being 92-times that of earth, a crushing weight for a human. The Louisiana Space Station, had planned to either land its astronauts on the North side of the planet, Ishtar Terra a high point, or Aphrodite Terra, on the South side of the planet, another high point, realizing 80% of Venus was plateau country, and 20% rocky plains, they would prefer to stay within the rocky plains for their encounter, away from the more settling of the lower layer of the hotter surface. The carbon dioxide in the atmosphere acted like a blanket trapping heat from the sun, and was very strong over Venus' surface; but the planet, like earth's surface was made of rock, a terrestrial plant by and large and the mission was doable. Wherefore, they would transit from their spacecraft, onto the surface of Venus in a special made machinelike, robotic form metallic suit.

Contrary to all other planets, such as earth whose orbit is counterclockwise to the sun, Venus is just the opposite, and spins on its axis much slower than earth. And it is a planet without a moon. Unlike Pluto, which has five moons, or earth with its singular moon; consequently, Venus being the closest to earth than all the other planets, having no moon to shade the planet, most scientists and astronauts felt there was no life to be found on Venus, Professor Johnson felt otherwise, that there was a possibility of an evolutionary form of life, or at least a possibility. And so as their spacecraft slipped within Venus' orbit, with its infrared, and ultraviolet cameras and radar, they found themselves just above Aphrodite Terra, on the Southside of the planet, having seemingly trapped less heat from the sun than its northern side at this particular moment, its temperature on the surface being 852 F, and Aphrodite Terra being under 500 F, and hence, this would be their chosen spot to descend.

Professor Marge Johnson had specifically made these spacesuits, with her own design, and they were working well. Her idea was the universe is hot and cold, the moon cold, Venus hot, as is Mercury. Hot does not contain fluid called caloric, but rather a substance in which atoms move more quickly, in clusters. Cold atoms or molecules move more slowly. Heat moves away from cold, even in metal, example a cold spoon in hot coffee. Or a Hot body to cold, put into the equation the nature of time now. When heat exchange occurs-negligible-the future is like the past. This can be reversed by the law of physics being infringed. Once heat occurs it changes the past. No friction equals no swing, movement goes backswords, friction produces a loss of energy, slows down. Like winding up a clock. The winding produces the heat, as does the person winding it. This phenomenon distinguishes future from the past.

The quicker moving atom (hot) collides with the cold atom, leaves some energy, this collision distributes its parts equalizing throughout the main item. In essence, a hot body can become hotter, through contact with a cold one, it is not improbable. At the roots of heat, nature is different, independent from quantum mechanics. Like a balloon, the suit is inflated, sealed, the molecules inside will slow the rapid molecules colliding with it, so says statistical physics and thermodynamics. Thus, for Dr. Johnson, she produced a suit that heat deflates when it enters the suit, like the balloon, the suit has reduced the set of properties entering it-changed them, in which interaction takes place within the change, it slows heat down, the body does not heat up, because there is not sufficient friction, plus it is being deflated.

And so their adventure begins with a macabre framework and a thralldom of measureless evil as was about take place.

Out-flung, from its stratosphere, came the space pod's infernal landing not quite exactly where they wished to land, a solar wind swept them sideways, as fast as a clap of an eye, swaying them away from their original landing site, into an enclosed valley of sorts, surrounded by mountains, at 409 F., an eldritch gloom of a place: the captain of the mother ship still orbiting above Venus' stratosphere, look on with insupportable terror, trepidation, what went wrong?

Thought Professor Marge Johnson, and Captain Younger: it was perhaps a far better choice than the one they had chosen (contrary to the crew of the mother ship's dilemma concerning the matter), with the exception they knew nothing of this area, yet still the Captain, felt it was a stroke of luck. Billy Colman, chemical engineer-seeing ebon shadows all about through his porthole-had a different take on the situation, and a sixth sense, you could say, and a heavy sense of superstition through his everlasting grin and sardonic expression, as if they had landed in Venus' perdition, -betwixt of the pods position, and thinking perhaps, where are all the were-wolves: in point of fact, wrath was lurking, just not the wolves.

But here they were and here they had to make the best of it, they had one and only one takeoff capability to the mother ship that circled above Venus' troposphere, and there was no second space pod, if anything went wrong, no time to change maneuverings. And as they stepped from the spacecraft onto the hot rock, a stupendous phantasmagoria crept through the veins of Astronaut Colman, he looked up into the blue heavens, all heated up as if by witch fire, his recumbent bulk on the pod.

Each of the three toiled to make headway within this pinned up valley of sorts-all in habitual vigilance, seeing towering cliff walls, and several huge apertures in the surface's ravished charnel ground, unaware of their functions, since there was no oceans or sinkholes of water that they knew of. Amongst the surface grime, they found some plasma like substance, mixed within it, quite a discover, if indeed that was what it was, as Dr. Johnson inferred examining it closer: testing would bring it to reality of course, when the time came, and perhaps she would be the discoverer of a strange strain of a foreign terrestrial DNA if it was what she thought it was, and possibly be given the Millennium Technology Prize.

The more they looked about the more of this plasma substance they found on stones and within clay. And then Billy found squeamish, serpentine coil designs in and around one of the deep pitted fissures, similar to that of a large worm or serpent. Climbing a few feet up the side of the cliffs, Captain Younger discovered ruinous and fetid bones, all chewed to its marrow, cracked and ripped open, this confirmed for Dr. Johnson, what all earth scientists had rejected, and projected, that there was no life to be found on Venus! Nor ever was, something that Edgar Rice Burroughs never took into considerations Venus' dynamics, because they weren't known back then, when he wrote his books, his Venus series, matter of fact it was only discovered during the first two decades of the 21st Century.

As I was about to say, Billy dropped a rope down-what he thought to be an inoffensive aperture, that looked more like a oubliette, around its edges being somewhat of a clammy substance: one of several cyclopean large ingresses thereabouts, this one taking several hundred feet of cable, and it went into sheer oblivion, what was down there? (his thing: should he fall, he'd surly be immured); thus, Billy pulled up the rope slowly as if in a necromantic spell, up and out of its so called egress, the aperture and its flanks being of a great size, one that could accommodate a free-fall of even their space pod. And as he pulled up the corded rope, Dr. Johnson looking on with her camera, for there was heaviness on the end of the rope, as he got to the last few feet, then with a jerk of the rope he pulled several large worm like creatures, with rounded heads, and small sabre like teeth, out and as they whipped their bodies backwards, all fell, worms and Billy together, plunged down into the dark mass, into the ebony night of the worm lair, with a sonorous cry, the home of the Venusian worms: and up came a mephitic odor that was even repugnant to Dr. Johnson through her suite.

Dr. Johnson getting it all on film, and Billy Colman-with sudden affright in his face-disappearing with the Venusian worms, whom were hissing as they-he and they-fell anon to their beleaguering doom. It was, I suppose an irrevocable perdition-drop for him.

Now the captain hurried over heeding her bossed and eerie voice, Dr. Johnson quickly updated him (her thews and deltoids tightened): as he looked down into the aperture he saw nothing but eyes, - eyes as if they were phosphorescence in nature (a prodigious moment indeed) the worms were as if they were magnets to its soil, they had climbed the side of the lair in rapid speed, like spiders in their webs; Dr. Johnson per near came to a swoon, looking upward, welkin, as if into the vaults of heaven. The Captain had to steady her, he looked about the worms, and they were everywhere, athwart: crosswise, diagonally, it was impossible not to step on them; and in their faces, round, with fangs like a wildcat's, showing malevolence, they snapped at the feet of the scientist and captain. His mind mingled in a strange confusion. For Dr. Johnson, it all seemed as if there was a dark science to all this. Erebus-like, darkness to a horrid degree, in all this, as if this was Venus' hell.

"We need to leave immediately back to the space pod and get out of here before they come after us!" cried Dr. Johnson, with horripilation, in cyclopean dread. And as they made haste, there was a million or more worms chewing away on their pod. And the Captain's last message to the mother spaceship was very ominous and baleful, "There is here a lair of Venusian worm like snakes, in a devil-haunted lair, don't come down... " which was not all that impossible, although the ship was not conducive for such a landing, and as the worms closed in on them-they kind of performed a liturgy in that, they both took off their robotic uniforms that had a cooling system in it and was heat resistance, but not impregnable, in consequence, to meet their fate (humming in a dirge, the American Anthem, as they sacrificed themselves to the malefic planet), as ash to dirt, before the worms would and could eat them bit by bit, flesh and bone dry; save, now no one was left with the knowledge of its veritable form, that is to say, the form of those beleaguering little Titans, clotted in filth, who clung onto the pod like white on rice-; in the interim, the mother ship trying to make contact, effortlessly with the three astronauts, assumed the worse and left their orbit to return to earth. As the pallid and motionless worms, raised high in stature, in satanic triumph.

Return Voyage of the Yig ((from Venus) (Part III of III)

The crew on the mother ship, shrieked and mumbled, giving incoherent pleas to the captain to land on Venus' surface to investigate the three astronauts death, still others, the most courageous, prayed before the wooden Christ on the great crucifix in the chapel onboard, but the captain took no heed to them, he took the advice given him by Professor Marge Johnson, to hightail it out of Venus' orbit. The loss was inexpressible, but loss is always part of a journey. What exactly took place was hollowed for the crew, and the 'Yig' at twenty-present light-speed, with a tempest borne echo followed the course back to earth, an ignominious flight from what was now considered a haunted stronghold on Venus.

The crew with flame, filled eyes, peering out the ship's port windows, so to see the last glimpses of Venus, shed no tears to escape that planet's mayhem. In the far distance, came a gravitational wave, it hurdled the spacecraft, into a tumble, but did no excessive damage to the craft, and the Captain reset the course to earth, like being hit by a great catapult of astrophysical wind, and surviving its impact, the crew somewhat shaken grievously, but to no large extent, mortally. Then came the bombardment of fragments, likened to someone flinging rocks from an asteroid at the ship, as if some colossal being was behind this anarchy. Then a few of the crew members said they saw this being, anthropomorphic in character, called him Asmodeus, demon of destruction. And the walls of the chapel were breeched, and had to be closed, and locked off from the rest of the ship.

Those that were in the chapel were crushed into blood pulp, it was as if this colossus demon was real, and had followed the Yig from Venus. Be that what it may, the chaos, were no travesties, the ship was being attacked. It would be recorded for posterity: as tales of the unexplained, ghostliness or wonton devil diabolism was not acceptable to the Captain.

To and fro the ship's crew went on with their daily chores, duties, all in a mad frenzy, awaiting for Asmodeus to do his next diabolical evil.

The Chaplin put Rosaries everywhere possible, on door knobs, over everyone's beds, and so on, to ward off this hatful soul that followed them like white on rice. They questioned if they had awaken him from his lair on Venus! So it was rumored. The fiend had been viewed by several members of the ship's crew; the being, did not openly identity itself, and then he disappeared, and so it would be tedious to make any more sense out of these enormities. And after months of space travel, the atrocities faded into lore, more than reality, and all aboard questioned if they had really saw what they said they saw, an agitated hive, but stable, and steady, and no pandemonium, and as earth came into view, they would withhold this story, lest they lose a good paying job.

#5242/ 5-23 through 25-2016
By Dennis L. Siluk, Dr. H.c. Copyright © May, 2016

http://ezinearticles.com/expert/Dennis_Siluk_Dr.h.c./5005